Dr. Valrian Feitosa

Oscar D'Ambrosio
Doutor em Educação, Arte e História da Cultura e Mestre em Artes Visuais, atua na Assessoria de Comunicação e Imprensa da Unesp.

Família de artista

Há muito filmes sobre biografias de artistas em todos os países do mundo. Existem, porém, menos reflexões cinematográficas sobre as famílias desses criadores que alimentam nosso imaginário nas mais diversas culturas. Um exemplo interessante dessa vertente é 'A última família', dirigido pelo polonês Jan P. Matuszynski.

O foco é o pintor surrealista polonês Zdzislaw Beksinski, assassinado em 2005 no seu apartamento em Varsóvia. Boa parte da narrativa recai, no entanto, sobre o relacionamento dele com o seu filho Tomasz Beksinski, um jornalista de música e tradutor que cometeu suicídio em 1995.

Outra personagem fundamental é Zofia. De formação católica, busca manter marido e filho unidos numa saga inglória, já que o pintor vive imerso em suas obras pós-apocalípticas, egocentrismo e fantasias sexuais bizarras e o filho mergulha em tendências neuróticas e suicidas.

O hábito de Zdzislaw de registrar os fatos de sua família com uma câmara não contribui para unir os três personagens centrais. Acima dessa questão pontual, entretanto, está a discussão das dificuldades de integrar uma família em que a arte está onipresente. Lidar com uma realidade que muitos não veem ou sentem salva e enlouquece ao mesmo tempo.

Oscar D'Ambrosio, Doutor em Educação, Arte e História da Cultura e Mestre em Artes Visuais, atua na Assessoria de Comunicação e Imprensa da Unesp.